Novembro, mês da música


E chegou o mês da música! No dia 22 de novembro, é comemorado o dia da música e, no mês de novembro, em muitas escolas de música do Brasil, há uma ênfase especial para este mês. Várias apresentações, desde os músicos iniciantes até os mais avançados, concertos, recitais nos mais variados instrumentos, cantores... enfim, muita música acontece e nós músicos nos sentimos muito felizes em apresentar nossos talentos para o público!

No meio cristão não é diferente. Igrejas que têm um ministério de música bem organizado, normalmente comemoram o mês da música em novembro. Algumas, no entanto, fazem o destaque, sendo em outro mês.  Mas por que comemorar o mês da música? Será que a música é importante dentro da igreja? Em I Crônicas 25:1 e 7 nós lemos: “Davi, juntamente com os chefes do serviço, separou para o ministério os filhos de Asafe, de Hemã e de Jedutum para o ministério de profetizar ao som de harpas, liras e címbalos... Todos capazes e preparados para o ministério do louvor do Senhor, totalizavam 288.”

O ministério da música foi instituído há muito, muito tempo, desde o antigo testamento. Neste texto bíblico podemos observar que o rei Davi e os líderes dos levitas escolheram e prepararam pessoas para dirigir e tocar nos cultos. Eram pessoas escolhidas e capazes para atuar no ministério de música. Isso é um privilégio! Quanta responsabilidade tinha um levita! Eles anunciavam a palavra de Deus acompanhados por instrumentos. A música na igreja tem o poder de transmitir a palavra de Deus aos corações da congregação e aqueles que dirigem a música, seja o líder de adoração, seja o grupo de louvor, regente ou instrumentistas, têm o importante papel de serem instrumentos de condução dessa mensagem.

Como pianista, gostaria de dar um destaque à preparação do músico instrumentista que toca na igreja. No texto mencionado, os instrumentistas eram preparados para atuar no Templo. É comum vermos membros e congregados da igreja estudando ou já terem estudado música algum dia. Mas qual seria a finalidade de estudar música ou aprender a tocar um instrumento musical? Os motivos podem ser os mais diversos: porque é bonito, porque o pai e a mãe incentivaram o filho a estudar, porque há uma tradição de músicos na família, e assim por diante. Esse gosto pela prática instrumental ou vocal se estenderá por muitos anos, dependendo da experiência que o indivíduo teve com a aprendizagem musical.

No entanto, em I Coríntios 13: 2 nós lemos “ainda que eu tenha o dom de profecia, saiba todos os mistérios e todo o conhecimento..., se não tiver amor, nada serei”. Estudar e adquirir conhecimento em qualquer área, é muito bom, mas de que adianta tanto conhecimento se não usarmos para engrandecer o reino de Deus! O que adianta eu ter cursos de mestrado, doutorado, ser uma concertista famosa no mundo inteiro, se eu não usar meus dons e talentos a serviço de Deus?

Permitam-me dar-lhes um exemplo pessoal. Aos oito anos de idade, minha mãe me colocou numa escola de música, aos 13 anos eu já estava tocando para o culto infantil, e aos 15, eu a substituí na igreja em que meu pai era pastor. Apesar de ter estudado com uma excelente professora de piano, quando me tornei jovem, senti o desejo de me consagrar mais ao ministério da música, porque entendia que precisava ter habilidade para tocar na casa de Deus. Em 1995, ingressei no seminário e concomitantemente, estudei o Bacharelado em piano. Neste ano completei 19 anos como pianista da Igreja Batista Emanuel, que privilégio!

Após tantos anos tocando em algumas igrejas e na Igreja Batista Emanuel (ao todo são 30 anos tocando em igreja!), passei por alguns desestímulos e pensei muitas vezes em desistir. Quando reflito melhor, penso sobre a importância da função do instrumentista no culto de adoração a Deus, assim como foi no tempo do rei Davi. Daí vem a convicção: não estou na Emanuel para receber aplausos ou elogios pelo que toco, para quem toco (coros ou congregação) ou como toco. Tenho a plena consciência de que não apenas toco um instrumento, mas SOU um instrumento nas mãos de Deus para Ele me usar como quiser e até quando quiser e assim ser bênção na vida das pessoas, auxiliando no louvor e adoração a Deus.

Ao refletir sobre todo este tempo no ministério da música, vem à minha mente a indagação: o que mais posso fazer para o reino de Deus? Como posso contribuir para deixar um legado para as próximas gerações? Minha oração é que Deus continue me usando a Seu serviço e abençoe o ministério de música desta igreja para que sejamos TODOS instrumentos de bênção nas mãos Dele. Que Deus nos abençoe e que possamos ter a plena consciência de que melhor do que ter talentos é saber usá-los para louvar e engradecer o nome de nosso Deus. Amém!